Sinceridade até que ponto?

1.1.16 Esteffany Marques 0 Comentários



É difícil ter a característica de ser sincero quando alguém que se ama comete um erro, pois é nessa hora que vem a necessidade de falar o que deve ser feito ou no mínimo dar a direção. A questão principal não é dar a opinião, mas é obrigação que se tem mentalmente de alertar sobre o erro cometido. As palavras que saem da boca de um ser sincero não vão ao ar com o intuito de machucar, na maioria dos casos, elas têm a função de abrir os olhos do amigo antes que se afogue em suas próprias lagrimas.


Entendo que ouvir não é fácil, pois ouvir alguém falando dos seus erros não é empolgante, mas tentar ver o ponto positivo das palavras que estão sendo faladas, podem trazer algum benefício para o amigo. Além de tudo isso as palavras podem ou não ser aceitas e é nessa hora que chega a pior parte. Nem toda a opinião deve ser jogada ao vento, por isso a função do sincero é tão complexa quando vista e tão fácil de ser entendida quando compreendida. A obrigação é ajudar e a consequência, muitas vezes, é perder a quem se ama.


O ponto é, como passar essa mensagem? Ter um bom jeito para falar é a melhor solução, pois as palavras têm o dom de machucar e de curar. Existem pessoas que ainda não descobriram o equilíbrio entre os dois mundos (o de ferir e curar) por isso, a melhor opção é não falar nada e deixar que ela descubra por si só a realidade. O princípio é, fale a verdade de uma forma meiga e escolha cada uma das palavras com sabedoria para que ninguém se machuque. 


Vamos começar bem o ano com esse texto reflexivo e espero que vocês tenham captado a mensagem sobre como uma pessoa sincera e qualquer outra deve passar a mensagem que quer. Espero que tenham gostado, FELIZ ANO NOVO!!! 


Beijos até a próxima:*


Você pode gostar também!

0 comentários: